indicadores financeiros

Indicadores econômicos

Selva Senhores!!! 

Em breve falaremos sobre Imvestimentos em Renda Fixa, então, primeiro precisamos falar sobre indicadores econômicos que guiam os rendimentos de vários investimentos sendo a renda fixa a mais dependente. Se você ainda não viu o post onde mostro algumas opções de investimentos, clique aqui.

Quando você investe seu dinheiro, você espera um retorno. Mas como é calculado este retorno? Com base em que a gente pode decidir se é melhor um tipo de investimento sobre o outro? Bem, entendendo os indicadores econômicos podemos calcular alguns retornos. 

Vamos ver os principais indicadores econômicos. 

IPCA – Índice de Preço ao Consumidor Amplo

O IPCA é considerado a nossa inflação. É um dos indicadores econômicos mais importantes para o país, pois ele determina a perda do seu poder de compra. Ele é medido pelo IBGE e é calculado com base em mais de 450 itens. Estes itens incluem alimentos, vestuários, escola, hospital e muitas outras categorias. Por exemplo, quando falamos de alimentos, dentro desses 450 itens tem o preço de algumas frutas como manga, melão, laranja, banana e por aí vai. Com base nesses preços dá pra calcular o quanto a inflação sobe ou desce. 

Os preços são cotados em 11 capitais brasileiras (Belém, Fortaleza, Recife, Salvador, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, São Paulo, Curitiba, Porto Alegre, além do Distrito Federal e do município de Goiânia) e abrangem famílias que ganham de 1 a 40 salários mínimos. Não tem relação com a cesta básica onde são cotados alguns poucos produtos. A cotação do IPCA abrange até jogos de azar. O IPCA é calculado mensalmente mas você já deve ter ouvido falar no IPCA-15.

O IPCA -15 nada mais é do que um período diferente de coleta de preços. Este índice coleta os preços do dia 16 do mês anterior até o dia 15 do próximo mês. Além do IPCA-15 temos também o IPCA-E que é o cálculo trimestral do IPCA-15. Por enquanto você só precisa saber que o IPCA é o maior índice de referência da inflação. Importante saber também que veremos muito este índice na renda fixa.

Taxa SELIC

Selic significa Sistema Especial de Liquidação e Custódia. É a taxa norteadora para as operações financeiras diárias. Ela é basicamente a taxa de juros que varia para manter o equilíbrio da economia. O governo fica ajustando ela para manter o equilíbrio e evitar que a economia colapse.

Quem decide o movimento da taxa é o COPOM (Comitê de Política Monetária). Seus membros reunem-se a cada 45 dias para deliberar se vão manter, aumentar ou baixar a Selic. Se a taxa Selic ficar muito baixa, vai impactar na venda dos títulos públicos e na poupança, pois deixará de ser interessante para o investidor. As pessoas passam a gastar mais e isso, por incrível que pareça, pode ser um problema. Com mais pessoas comprando produtos, o preço acaba se elevando por conta da demanda. Um produto muito procurado e pouco produzido tende a ser caro.

Se a taxa Selic ficar muito alta as pessoas param de gastar e passam a guardar. Com isso a economia sofre porque os produtos ficam parados na prateleira. Se os produtos se acumulam e não são vendidos, então, não precisa produzir como antes e começa o colapso. Se ninguém compra nada, as empresas não lucram e acabam mandando funcionários embora. De um jeito ou de outro, o governo tem que manter a Selic em uma média que seja boa pra economia.

A Selic é um dos melhores indicadores para quem quer deixar dinheiro “parado”. Veremos no futuro que quem está com dinheiro prestes a usar mas quer deixar rendendo, geralmente deixa atrelado à taxa Selic. O Tesouro Direto também oferece esta opção e é uma das mais usadas.

Certificado de Depósito Interbancário – CDI

O CDI é a taxa utilizada para negociação entre os bancos. Você já se perguntou se um banco tem dinheiro suficiente para pagar todo mundo que tem conta nele? Se todos quiserem sacar ao mesmo tempo, como fica? Pois então, os bancos emprestam dinheiro entre eles emitindo os CDI e isso gera uma taxa muito utilizada. Você vai ouvir Taxa CDI ou DI mas são praticamente a mesma coisa.

O CDI é muito utilizado na renda fixa como benchmark. Veremos muitos investimentos oferecendo taxas em cima do CDI como por exemplo 120% do CDI. Isto significa que a instituição financeira está te oferecendo a taxa CDI + 20%. Se o CDI for 7% você receberá + 20% que totaliza 8,4%. Fiz contas simples somente para ilustrar.

indicadores econômicos

Índice Geral de Preço do Mercado – IGP-M

Se de um lado o IPCA mede a inflação com base em mais de 450 itens como alimentação, escola e outros, o IGP-M também é uma forma de medir a inflação mas com outros dados. O IGP-M utiliza desde matérias-primas agrícolas e industriais até bens e serviços finais para ser calculado.

Se o IBGE calcula o IPCA, a Fundação Getúlio Vargas calcula o IGP-M. O índice é calculado com base em três outros índices conforme abaixo:

  • IPA (Índice de Preços ao Produtor Amplo) 60%
  • IPC (Índice de Preços ao Consumidor) 30%
  • INCC (Índice Nacional do Custo da Construção) 10%. 

O IGP-M é o índice utilizado para o reajuste dos alugueis e da conta de energia. Também é utilizado como referência em contratos de imóveis sendo muito comum quando a construção está pronta. Durante a fase de construção o financiamento é corrigido pelo INCC mas muitas vezes, quando termina, é corrigido pelo IPG-M, isto se não estiver financiado.

Conclusão

Existem outros indicadores econômicos mas eles são menos usados e como já trouxe muita informação nova, veremos outros depois. O importante é entender os índices apresentados aqui pois são referência para 99% dos investimentos. Para investir em renda fixa é importante conhecer bem cada um destes índices bem como calcular o retorno.

No próximo post veremos alguns exemplos de renda fixa e suas rentabilidades. Fiquem atentos, se você ainda não se inscreveu na lista de e-mails, faça agora e não perca nenhuma atualização. Se tiverem alguma dúvida deixem nos comentários.

Brasil!

2 thoughts on “Indicadores econômicos

  1. Acho que a perda do poder de compra é um aspecto que muita gente não leva em conta, e é utilizado (ou melhor, omitido) nas “calculadoras” financeiras que prometem rentabilidades astronômicas para alguns investimentos.

    Mudando de assunto, os indicadores brasileiros flutuam de forma ampla. Selic de 26% a 7,5%, por exemplo. As incertezas nos indicadores dificultam a previsibilidade de longo prazo.

    1. Exatamente. Muitas instituições financeira fazem as propagandas com intuito de atrair investidores mas no fim das contas vários investimentos não têm boa rentabilidade.

      Sobre os indicadores, sim eles variam muito de acordo com nossa política e economia, por isso é difícil você ver algum investimento com prazo maior que 5 anos. Na época da Dilma tínhamos CDB IPCA+7,5%, quem comprou naquela época ainda tem mas vai vencer em no máximo 2 anos. IPCA hoje está menos de 4%, ou seja, o ganho neste tipo de investimento está quase o dobro do IPCA. Imagine se pudesse ter esse investimento por 20 anos? Seria ótimo uma inflação de 4% e um rendimento de 7,5%.

Leave a Reply