ETF

O que são ETF?

Saudações nobres combatentes!

O que são ETF? Por acaso alguém conhece essa categoria de investimentos? Algum gerente de banco já te ofereceu um ETF? Tenho certeza eu um consórcio ou um título de capitalização ele já de ofereceu e até um empréstimo para comprar o que você quiser, também já foi oferecido, confere?

Aqui no site já falamos muito sobre educação financeira, organização financeira, sobre aposentadoria, sobre finanças em família dentre várias outras coisas. Também adentramos no assunto de bancos, renda fixa e renda variável. Agora trago a vocês mais uma modalidade de investimentos, os ETF.

O que significa ETF?

ETF é a sigla em inglês para Exchange Traded Funds que podemos traduzir como Fundos de índices. Não é a tradução literal mas é o que acontece com esse tipo de investimento. Este investimento surgiu aberto ao público no Canadá e depois foi para os Estados Unidos. No Brasil começou a operar apenas em 2004.

Seguir um fundo de índice significa dizer que os ETF vão “copiar” a performance de algum índice como o iBov (índice Bovespa) ou então o SP500 que é o índice composto pelas maiores 500 empresas nos EUA. No Brasil o mercado de ETF ainda é muito pequeno mas nos Estados Unidos é gigante.

A imagem abaixo mostra o ETF IVVB11 seguindo o índice SP500 nos Estados Unidos. Em azul é o IVVB11 e em verde o SP500.

ETF

Os ETF têm diferenças entre os fundos comuns como fundo de investimento em ações e fundos de investimentos em renda variável. Para trazer mais uma variante nos investimentos de fundos, ainda temos os fundos de investimentos imobiliários. Não confundam todos estes. Já falamos de fundos de Investimentos imobiliário e depois falaremos dos demais.

Características dos ETF

Os ETF são marcados pelas suas características que beneficiam o investidor passivo, aquele que compra alguma coisa e deixa que a gestão seja feita por uma gestora. Aliás, os ETF são mais apropriados para as pessoas que não querem ficar acompanhando o mercado o tempo todo nem ficar negociando por conta própria.

As principais características são:

Diversificação

Os ETF são bastante diversificados. No Brasil, como falei, não temos muitos mas no exterior temos vários. Vamos tomar como exemplo o ETF IVVB11 que replica o índice SP500. o IVVB11 é um ETF Brasileiro mas que segue um índice americano. Não vou entrar nos detalhes sobre o IVVB11, pois isto daria um post grande só para ele. Em suma, podemos dizer que, um único ETF, o IVVB11, possui 500 empresas dentro dele.

Menores custos

Por terem um sistema totalmente informatizado, os ETF têm menos custos de operação. Sabe quando você vai comprar um ativo na corretora e eles cobram uma corretagem? Então, isso não acontece para compra do ETF. Eles cobram uma taxa de administração ao investidor que geralmente é extremamente baixa. Nos EUA tem ETF que cobra 0,07% de taxa para fazer esse serviço de compra e venda para você.

Maior liquidez

A liquidez é muito importante. Significa que muitas pessoas compram e vendem o ativo e com isso, quando você quiser vender, vai conseguir de imediato. Um ativo que não tem liquidez é ruim, pois quando você quiser vender, não vai encontrar comprador. No Brasil a liquidez não é tão grande mas no exterior é muito alta.

Transparência

No site da gestora você encontra todas as informações sobre o ETF, então é tudo muito transparente. Esta é uma das qualidades, pois caso você perceba algum movimento que ache estranho, pode vender de imediato. Como os ETF seguem um índice, dificilmente isso acontece.

Estes são os itens que você deve olhar na hora de pensar em comprar um ETF. Abra o prospecto do fundo e veja se todos esses itens estão sendo respeitados. Se estiverem, os riscos serão muito baixos.

Tipos de ETF

No Brasil o mais comum são os ETF de renda fixa e renda variável. O IVVB11 é um ETF atrelado à renda variável mas existem ETF atrelados à índices de renda fixa como o IMA-B, que por sua vez é o índice atrelado à inflação (IPCA).

Tá ficando muita informação para você? Não deixe de ler os posts anteriores que muitas informações já foram tratadas aqui. Caso tenha dúvidas, deixe nos comentários. Os próximos posts falarão de outros assuntos abordados aqui. Sendo assim, vamos seguir em frente que a marcha nem chegou na metade do caminho.

Tributação – Imposto de renda

Imposto de Renda

Como vimos acima, existem os ETF e renda variável e de renda fixa, sendo assim, a tributação entre eles é um pouco diferente. Sim, tributos! Ou você acha que vai lucrar sem dividir parte com o governo?

A tributação é simples. Todo mercado de renda variável possui tributação de 15%, ou seja, você compra um ativo de renda variável e vende com lucro, terá que pagar 15% sobre o lucro, de imposto. Já o mercado de renda fixa é diferente. A tributação é de acordo com o tempo que você permaneceu com o investimento, conforme tabela abaixo.

Tributação do imposto de renda em investimentos de Renda Fixa

Mas esta tabela é para o caso de você investir em renda fixa, no caso dos ETF os prazos são os mesmo, no entanto o que conta é o prazo médio de repactuação do fundo, ou seja, se a média do ETF de renda fixa for de menos de 720, a alíquota será de mais de 15%. Caso os ativos que compõe o ETF já estejam lá por mais de 720 dias, você pagará sempre 15% sobre o lucro. Geralmente é o que acontece.

Falamos sobre venda de ETF com lucro e pagamento de imposto mas caso você não venda nada, basta declarar no programa de declaração anual do imposto de renda pessoa física. Você declara todos os ETF que possui em bens e direitos.

Tamanho do mercado de ETF no Brasil e no mundo

Só para que os senhores tenham ideia, no Brasil temos 17 ETF listados na B3 (Bolsa, Brasil, Balcão) Aqui está o link para acessar a pagina da B3-ETF. Observem na imagem abaixo todos os ETF listados na B3.

ETF brasileiros

Estima-se que em valor de mercado, no Brasil, os ETF giram em torno de 26bilhões de reais. 2019 foi o ano que teve maior crescimento de investidores passando de mais de 40 mil para pouco mais de 100 mil investidores. Cabe lembrar que o Brasil tem mais de 210 milhões de habitantes.

Já nos Estados Unidos este número aumenta consideravelmente. Segundo o site de estatísticas chamado Statista, em 2019 havia mais de 2000 ETF, para ser mais exato, 2096 ETF. O site da CNBC divulgou em novembro de 2019 que, nos Estados Unidos, o mercado de ETF atingira 4 trilhões de dólares.

ETF US
Número de ETF nos Estados Unidos, até 2019

No mundo inteiro estima-se mais de 5 mil ETF com um mercado total de mais de 5 trilhões de dólares de negociação. Quando olhamos os números dos EUA e do mundo, vemos que o Brasil nem começou com este tipo de investimento ainda.

Desvantagens dos ETF brasileiro

Apesar de ter trazido vários dados sobre ETF, vejo mais desvantagens em investir em ETF brasileiro do que vantagens. Se formos falar dos ETF no exterior, seria diferente mas no Brasil, não vejo tanta vantagem pelos seguintes motivos:

  • 1º – Não há isenção de imposto de renda na venda com lucro em até 20 mil reais mensais. Quando compramos ações diretamente na Bovespa, temos isenção do imposto sobre o ganho de capital, aqueles 15%, caso as vendas com lucro no mês não ultrapasse 20 mil reais. Com os ETF não existe o caso, se você vender 1000 reais com lucro de 200 reais, terá que pagar imposto.
  • 2º – Os ETF brasileiros não distribuem dividendos. Quando não há distribuição de dividendos, isso significa que você também não tem isenção sobre os impostos sobre os dividendos. No Brasil os dividendos são deduzidos na fonte da empresa e o investidor recebe os dividendos e não precisa pagar imposto. Quando um ETF não repassa os dividendos e investe por conta própria, este dividendos incorpora na cota. Esta cota quando você vender, incidirá imposto de renda como expliquei acima.
  • 3º – Falta de diversificação de ETF. Eu disse que os ETF são diversificados, e são. Cada ETF tem várias coisas dentro mas o Brasil possui apenas 17 ETF contra um mercado de mais de 2000 ETF nos EUA. Fica difícil diversificar uma carteira com ETF no Brasil. Para se ter uma ideia, no exterior você pode escolher um ETF atrelado somente ao setor financeiro.

Estes são os principais motivos de eu não investir em ETF brasileiros. De qualquer maneira, caso queira diversificar e ficar um pouco atrelado à moeda estrangeira, como o dólar por exemplo, o IVVB11 é uma boa pedida. O problema é que só temos ele no Brasil e você pode comprar diretamente na sua corretora.

Considerações Finais

Existe muita coisa para falar de ETF. Este post acabou sendo um pouco mais técnico, trazendo até alguns assuntos que ainda não foram abordados. É muito importante conhecer as características dos ETF, como eles operam, quais impostos incidem e quais são as desvantagens dos ETF brasileiros. O que pode ser uma desvantagem para mim, pode não ser para você.

Caso tenha ficado alguma dúvida, deixe nos comentários. Se acharem que preciso esclarecer mais o assunto com outros posts, fiquem a vontade para comentar abaixo.

Não se esqueça de compartilhar este post com seus camaradas nos seus quartéis, grupos e com a família. Vamos aumentar o conhecimento sobre educação financeira e investimentos visando um futuro melhor.

Bons saltos e boas aterragens!

Leave a Reply